gallery/capa1
gallery/capa10
gallery/capa11
gallery/capa12
gallery/capa13
gallery/capa14
gallery/capa15
gallery/capa16
gallery/capa17
gallery/capa18
gallery/capa2
gallery/capa3
gallery/capa4
gallery/capa5
gallery/capa7
gallery/capa8
gallery/capa9

 

23 ANOS DA REVISTA ARANDU: FUNDADA EM AGOSTO DE 2020

 

          O Grupo Literário Arandu, fundado pelos escritores Carlos Mag¬no Mieres Amarilha, Edy Salis Leite, Regina Meyer, Simone Areco, Luciano Serafim, Maria Lúcia Toulouei e Nicanor Coelho, desde a sua fundação realizou diversos eventos culturais, literários e científicos, com o pro¬pósito de integrar os intelectuais, artistas, pesquisadores, com a escola, universidade e coletivos que realizavam eventos para serem publicados.

          “Arandu” em Guarani significa sabedoria foi o nome escolhido para esta publicação por representar a luta dos escritores de Dourados. No primeiro número da Revista Arandu, em agosto de 1997, na introdução, apresenta-se assim, “A Revista Arandu reveste-se de um significado bas¬tante especial: é o passo inicial no sentido de divulgar as Artes, Ciências, Literatura e Educação, agregando em suas páginas, autores de reconhecida competência em suas áreas de atuação e estando aberta às mais diversas manifestação do pensamento e do conhecimento” (Revista Arandu, 1997, p. 4).

          Segundo Carlos Amarilha a publicação consecutiva da Revista Arandu, “nesses 23 anos, mostra a importância do Grupo Literário Arandu e da editora Nicanor-Coelho que primam de trabalhos relevantes produzidos por pesquisadores, professores e estudantes de Mato Grosso do Sul, no intuito de aprimorar o diálogo entre os interessados e expor os resultados de suas pesquisas, em diferentes espaços de suas respectivas áreas, como os encontros, simpósios, colóquios, congressos, fóruns, jornadas científicas, em programas de graduação, pós-graduação, grupos de pesquisa, núcleo de estudos, coletivos, entre outros. É muito importante valorizar e aprimorar cada vez mais o trabalho científico. O conhecimento de novas técnicas e de novos horizontes consegue dinamizar o mundo a reagir com novos paradigmas sociais. Quando mais técnicas são descobertas e acesso a elas, mais capacidade o indivíduo tem para desenvolver novas pesquisas, novos saberes e novas metodologias”.

          Nicanor Coelho editor, afirma que a produção e a materialização da Revista Arandu mostra que a dinâmica do conhecimento no mundo depende de pesquisas e técnicas que vêm sendo estudadas para o desenvolvimento físico e intelectual da sociedade. “A partir de novas pesquisas e novas técnicas, cientistas descobrem novos métodos de aprimoramentos essenciais para o desenvolvimento da vida e da sociedade”. Nesse sentido, a Revista Arandu é um importante veículo de aproximação entre diferentes pesquisadores em seus mais diversos níveis de formação. De acordo com Colho, “as publicações da Revista Arandu contribuem para facilitar os pesquisadores a continuarem na procura de novas fontes para seus objetos de pesquisas, bem como incentivar novas pesquisas, novos objetos, novos conceitos a serem estudados, revelados, investigados, aprimorados e divulgados”.

Assessoria/divulgação: EAD-ARANDU.
Por Nadine Bolzan. Julho de 2020.

nossa livraria